Quarta, 22 Setembro 2021 22:54

Mensagem de Nossa Senhora de Piedade em 19 de Setembro de 2021

Avalie este item
(1 Votar)

Queridos filhos!

Hoje é um domingo muito especial para esse Vale dedicado à Mãe de Piedade. O Vale da Imaculada Conceição vivencia um presente de agradecimento a Deus pelos anos de evangelização em que o Céu me concede a graça, a honra de estar aqui presente de corpo e alma catequizando-os num momento tão preciso, tão necessário em que os filhos de Deus, na Terra, clamam, clamam pela paz.

O que eu desejo para vocês é muita paz! Trazer essa paz, essa brisa mansa que é Jesus. Trazer essa suavidade para as suas famílias, para os jovens e as crianças. Meditemos, neste momento, sobre a presença do Espírito Santo em nós. Que Ele desça sobre nós. Quanta sabedoria o mundo precisa ter; quanta ciência o mundo precisa ter; quanto entendimento da Palavra; quanta força precisam ter as famílias. Como os jovens precisam buscar em Deus o conselho, se conscientizar!

O mundo precisa de muita luz! É o ano de clamar o Espírito Santo: vem, vem Divino Espírito Santo.

São José estará presente nos lares de todas as famílias do Brasil e do mundo inteiro. É o ano belíssimo de São José! São José ensiná-los-á, neste ano, a serem humildes, simples, a fazerem a vontade de Deus, a dizerem o ‘sim’ com amor e a cultivar o Reino de Deus em vocês, para serem operários da Messe do Senhor.

Que São José seja o operário e traga para a vida de vocês o trabalho, o sustento e toda providência necessária a todos os povos na Terra!

Hoje é dia de festa para vocês e de festa para o Céu também, filhos. Porque o Céu os ama. Se eu estou presente aqui durante todos esses anos é porque o Céu os ama. Eu não estaria aqui se não fosse pela vontade de Deus, pela vontade dAquele que é Pai, que ama, dAquele que é Filho e misericórdia, que ama, dAquele que é a Luz, o Divino Espírito, que ama. Somos amados, muitos amados por Deus.

Como nos fala Jesus: “Depois que vem uma tempestade, vem a luz, vem a beleza, vem a brisa”.

O mundo passa por uma tempestade. Ainda não passou a tempestade, ela ainda está no mundo. Mas, hoje, vocês podem cultivar em seus corações, a paz, a brisa mansa que é Jesus. Sentimos o perfume de Deus em nossas vidas.

O pedido que eu faço nesses trinta e quatros anos – peço a Jesus, peço ao Pai, ao Espírito Santo – é a cura do mundo. Não só da enfermidade, não só da pandemia, da peste, mas a cura do coração de vocês.

Vocês são convidados pela Mãe que os ama, a serem santos. Deus quer vê-los, e fazer-lhes santos! A santidade é muito maior do que imaginam. A santidade é algo sublime. Mas como ser santo nos dias de hoje?

Quando falamos deste ano dedicado a São José – São José foi muito fiel a Deus no momento em que isso era mais necessário – o mundo passava pela mesma dor. Talvez hoje a dor seja maior, porque o homem conhece o Salvador e não O ama como precisaria amar. Mas São José foi muito fiel a Deus.

O mundo, nesse momento, precisa ser fiel a Deus! Se a humanidade não procurar ser fiel a Deus, vocês viverão dolorosa dor na Terra. Não será uma dor qualquer; será uma dor muito grande!

Hoje, cumprindo a missão de Serva do Senhor, eu convido vocês à vida de santidade. Talvez nem todas as pessoas estejam preparadas para vivenciar a santidade. Mas é um pedido muito especial que eu lhes faço.

O mundo se encontra terrivelmente na miséria, que é o pecado. Não é uma miséria só de pão, é uma miséria de amor. É uma miséria de conscientização de que somos de Deus; falta essa conscientização. O homem vive perdido. Perdido, filhos! E nem diante do sofrimento ele tem procurado se encontrar.

Gostaria que vocês fizessem um ato de cura de seus corações, pois cada um conhece a si mesmo, sabe das suas necessidades, de seus sofrimentos, das suas angústias, das suas dores. Peça a Jesus a cura. Estamos num belo Santuário, não apenas pela natureza, mas pela beleza da espiritualidade. Aqui conhecemos a vida, a obra e a oração. Temos a felicidade de estar nas Entranhas do Coração de Jesus Misericordioso. Nós temos essa felicidade!

Há quantos anos vocês são evangelizados no Vale da Misericórdia. Jesus é misericórdia para vocês!

Parem um pouco, e vejam, todos vocês romeiros, filhos da Comunidade Fraterna, pais, mães, jovens, crianças, povo de Deus, Igreja, sacerdotes: vejam que a misericórdia de Deus é muito grande neste lugar. Há tantos anos vocês vivem a graça da fraternidade, da partilha. Deus Pai, mesmo conhecendo a pequenez de seus filhos, nos concede aqui uma Fonte de Misericórdia.

Hoje, vocês podem, com muita tranquilidade e sabedoria, caminhar com mais suavidade, porque é preciso ter mais suavidade na caminhada, ninguém pode seguir muito depressa, querer as coisas por completo[1]. É necessário que vocês sejam merecedores das coisas de Deus. Vocês devem sempre refletir: “Não somos dignos!”, mas dizer: “Jesus nos fez dignos”. Caminhe com mais suavidade.

O que significa caminhar com mais suavidade? Significa caminhar respeitando o seu semelhante, o seu próximo, e ter um zelo muito grande não permitindo que o mal os afaste do caminho sábio.

Qual é o caminho sábio? Qual é o caminho da sabedoria? Qual é o caminho da graça? É o Divino Espírito Santo que nos faz fortes para caminhar sobre o caminho que é Jesus Cristo. Tenha essa sabedoria!

Estamos vivendo o plano de Deus e temos, aqui, uma grande caminhada missionária. Todos são importantes para a obra de Deus! Há muito que ainda não se despertaram para essa obra e sofrem as consequências dos seus pecados. Porque num lugar de oração, o próprio lugar lhe mostra que é um lugar de oração. Então, quando você chegar num lugar de oração e você não viver a vontade de Deus, você está sendo desobediente a Deus. As coisas de Deus são sagradas! A começar por você mesmo. Muitos não sabem valorizar o que é sagrado. Por isso, Jesus fala, nesta catequese, que muitos pisam no sagrado.

Quantas vezes você não respeita Deus em você? A presença do Divino Espírito Santo em você?

É tempo de cultivarmos a presença do Espírito Santo. Temos colhido muito sofrimento, porque vocês têm plantado esse sofrimento, filhos! Vocês simplesmente têm se tornado homens que não são filhos obedientes. Negam, muitas vezes, não sabem silenciar, não sabem escutar o Céu.

Quando Jesus pediu que orássemos, pedindo e suplicando a proteção de São José, Jesus nos fez mergulhar na dor que você vive – o pai, a mãe, o jovem, a criança – e pedir a São José para valer-nos e socorrer-nos no momento do sofrimento. O mundo está no sofrimento.

O que aprendeu o homem com esse tempo em que a humanidade ouviu a voz de Deus – mesmo aqueles que não têm tanta espiritualidade?

De repente vem algo e simplesmente faz a Terra, o mundo, reconhecer que é preciso ter vida de oração e de conversão.

Nada acontece na Terra por acaso, nem nos dias de hoje. Tudo que tem acontecido são consequências do que a humanidade tem vivido. Então a vivência da humanidade não tem sido linda.

Eu, como Mãe, Maria, aquela que está aqui presente para conduzi-los pela vontade de Deus ao caminho da misericórdia lhe peço cura, santidade, vontade de ser realmente um filho feliz e abençoado; zelo pela família, zelo pela comunidade e zelo pela Santa Igreja.

Cuidem-se, porque vocês são as coisas mais sagradas de Deus e para Deus. Nunca se esqueçam disso, filhos: o que existe de mais sagrado, de mais valioso para Deus são os filhos dEle. Nunca se esqueçam que Jesus morreu para o salvar. Pense no quanto você é importante para Deus, no quanto você é importante para Jesus.

Muitas vezes os filhos questionam: “Por que a Mãe de Deus vem ao mundo?” Porque Deus ama os filhos d’Ele, porque Deus ama você! E se você não tiver a presença do Céu a o iluminar, você não vencerá esses tempos de tribulações, de vazio, de doenças, de fome, de miséria, de guerra, de violência, de divisões e de pobreza que a humanidade vive hoje.

A missão de vocês é uma missão linda! É orar pelo Brasil e orar pelo mundo inteiro. É pedir a consagração de todas as nações à Misericórdia Divina. Todas as nações serão consagradas, por intermédio de Jesus Misericordioso, ao meu Coração Imaculado de Mãe. Essa é a missão do povo de Deus.

Deus permitiu que vocês vivessem esse momento. Momento em que a humanidade ainda precisa muito dobrar os joelhos. A tempestade ainda não passou. Há sofrimento! Virá sofrimento e há sofrimento! Os filhos de Deus precisam de Jesus, da misericórdia de Jesus. Mas se sintam felizes, porque os homens fiéis a Deus vencerão! Como vocês, que já venceram e ao percorrer um grande caminho.

Podemos dizer com alegria que temos a graça de Deus em nosso coração, pois reconhecemos que este Vale é um lugar que Deus um dia olhou, abençoou e presenteou. E nós nos sentimos presenteados por Deus, filhos.

Hoje, eu sinto que vocês vieram até aqui, para dizer: “Mãe de Piedade, obrigado(a)  por sua presença!” E eu, Maria, digo: “Filhos, obrigada pelo ‘sim’ de vocês! Obrigada pelo amor de vocês!” A nossa missão é ainda muito maior. Nós já percorremos boa parte do caminho designado por Deus e estamos chegando ao momento de colhermos os frutos do que temos plantado durante todos esses anos de batalha. Esperamos colher os frutos da paz.

Por isso, o pedido que eu lhes faço é a cura, a vida de santidade. Não permitam que o demônio destrua o que há de mais sagrado na vida de vocês, que é ser uma fraternidade, ser uma família.

Quando vocês vêm ao colo da Mãe de Piedade, vocês são acolhidos por uma família que há trinta e quatro anos me acolheu com muito amor. E isso é graça de Deus, filhos! E isso é presente de Deus! Somos acolhidos, no plano de Deus, pelos próprios filhos de Deus. E essa acolhida se multiplicou, se tornou fraternidade, se tornou comunidade, se tornou Família Missionária, se tornou jovens missionários, crianças orantes, testemunho vivo da fé.

Jesus disse: “Eu preciso de homens, de jovens, de crianças que trabalhem para Reino de Deus na Terra. Eu preciso do ‘sim’ daqueles que sempre estarão diante da minha presença pedindo e suplicando pela conversão da humanidade.

E vocês estão aqui! Vocês aprenderam tantas coisas lindas. Receberam tantos presentes de Deus. Oraram durante tantos anos por esses presentes do Céu, principalmente, por terem Jesus Eucarístico. Eu apenas peço que vocês sejam humildes, sábios e simples. Porque Aquele que nos acolhe é humilde, simples e sábio – Jesus. Então, sintam-se acolhidos por Jesus! Sintam-se nos braços de Jesus Misericordioso.

Vamos pedir a Jesus Misericordioso a paz na Terra. Vamos pedir a Jesus a união do povo brasileiro, pedir que Jesus cure, também, essa nação gigante, terra abençoada da Santa Cruz. Que Deus abençoe este Vale, este Vale pequenino, mas gigante na oração.

Eu louvo a Santíssima Trindade, porque aqui existe um exército que ora. Há muitos que ainda não sabem o valor deste lugar. Mas a maior parte dos filhos veio pela sua fé, pelo seu ‘sim’ e pelo seu amor à realização do plano de Deus.

Que a Santíssima Trindade derrame muita luz sobre os jovens, que serão exemplo e precisam ser o testemunho de uma vida nova, sobre as nossas crianças, para que sejam santas. Que sejamos instrumentos para conduzir as crianças ao caminho da santidade. Sobre as famílias para que sejam luz e possam iluminar o mundo, que hoje caminha tão perdidamente nas trevas.

Que a Santa Igreja tenha a proteção belíssima de São José, que tanto nos ama, que tanto nos acolhe e que tanto intercederá a Deus por esta família tão linda, que é a família maior.

Que Deus abençoe você, que hoje está aqui presente. Que Deus abençoe você, que não está aqui fisicamente presente, mas que, aonde quer que você esteja, o seu coração está aqui no meio de nós.

Vamos, neste momento, colocar o mundo, aqui, no meio de nós. Vamos passear pelo mundo, pelas nações, pelos povos: são tantas línguas e raças. Lembremo-nos daqueles que mais sofrem, dos que precisam da cura do corpo, e dos que precisam da cura da alma; daqueles que não têm alegria de dizer: “Eu creio, confio e espero no Senhor!”

Durante todos esses anos eu, Maria, tenho a graça de poder abençoá-los, de pedir a Jesus para os abençoar, de pedir a Deus para os conduzir e ao Espírito Santo para os iluminar. Que vocês sejam firmes na fé! Mesmo que a tempestade seja terrível, não permaneçam caídos. Levantem-se! Jesus levantará este exército lindo. Mesmo nos momentos mais difíceis, das aprovações, vocês vencerão!

Que o mundo aprenda e não espere ainda mais dor para aprender a lição. Que a humanidade se converta enquanto ainda tem a felicidade de receber Jesus, tocar com as suas mãos o Santo Rosário e orar, confiando a Deus os nossos corações.

Com grande carinho e amor, eu quero abençoá-los.

Neste momento, Nossa Senhora abençoa todos, enquanto cantam: “Dai-nos a bênção...”

Queridos filhos!

Que festa belíssima de agradecimento a Deus! O silêncio, a oração, a fraternidade, a partilha e o carinho de vocês com a Comunidade Fraterna.

A comunidade precisa ter zelo por este Vale tão abençoado. Deus olhou-o há trinta e quatro anos, e ainda o olha e traz bênçãos.

Tantas bênçãos vocês levarão para a vida de vocês, para o Brasil, para o mundo. Espalhem essas bênçãos sobre a Terra, sobre tudo o que existe nela, sobre o homem ferido, machucado e doente, que precisa de muita cura, de muita paz e de muita luz.

Por isso, o que eu tenho a pedir a Deus, nesses 34 anos, é essa cura da humanidade. Que a humanidade se converta! Vocês estão passando por provas árduas. Que vocês não esperem mais sofrimentos para se converterem. Daqui para frente, filhos, a colheita será na medida do que se planta. Que vocês tenham muito cuidado, porque a sua colheita será aquilo que você plantar.

Tenham zelo pela vida de vocês, pela família de vocês, pelo Brasil, pelas nossas crianças, pelos jovens, pelas famílias, pelos sacerdotes e por todo o Clero. O mundo colherá o que planta. É tempo da justiça de Deus.

Eu me sinto na missão de mostrar para vocês a importância de buscar a cura e a conversão com alegria. Não é um momento de dor, é um momento de alegria. Porque o momento mais feliz da sua vida é o momento da sua conversão. É o momento em que você aprende que a vida é muito maior do que você pensava ser. Porque você é muito importante para Deus. Se eu estou aqui presente de corpo e alma, durante todos esses anos o que se explica aqui é o amor de Deus por cada filho que Ele tem na Terra.

Por isso, louvado seja Deus por esse amor tão grande à humanidade!

Que todos permaneçam em paz!

Obrigada pelo ‘sim’ de vocês; pelo ‘sim’ das crianças que cresceram; pelo ‘sim’ das famílias que nos acolheram; pelo ‘sim’ da Comunidade Fraterna; pelo ‘sim’ dos romeiros que mesmo diante da batalha estão aqui presentes com sabedoria, com respeito, com prudência e em oração pela cura da humanidade. Que Deus abençoe vocês de uma forma grandiosa, imensa!

Que as bênçãos de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo sejam derramadas sobre a humanidade, e as de São José, também.

Vamos agradecer a São José! Porque tem sido um ano muito bonito para aquele que vive a espiritualidade da família maior, que é a Santa Igreja.

São José, protegei a humanidade neste momento de aflição, de tribulação e de dor.

As flores, Jesus, abençoou para cura e libertação de todos os doentes do corpo e da alma.

Eis aqui a Serva de Deus, a Mãe Imaculada, a Mãe de Piedade e eis que o Senhor me chama.

 

[1] “De uma vez”, por assim dizer.

DMC Firewall is a Joomla Security extension!