gototopgototop

Mensagem de 13 de Dezembro de 2015

Queridos filhos! 

Desejo a paz a todos os corações que hoje estão aqui presentes. Que a paz de Deus que é o Pai, o Filho e o Espírito Santo, esteja aqui neste momento, em nossos corações, em nossas vidas, na vida de nossas famílias, em nossa Comunidade Fraterna.

A paz é a presença de Deus, Pai, Filho e Espírito Santo em nós! O Pai, Filho e o Espírito Santo nos convidam neste tempo de espera a esperar pelo nosso Salvador. Este é um tempo de perdão! Vamos falar de perdão. Precisamos de muito perdão. Precisamos ser perdoados e precisamos perdoar também. Cada um vai fazer uma pequena reflexão: feche seus olhos para o mundo e os abra para Deus. Reflita neste momento sobre o perdão que está faltando hoje em sua vida, em sua casa, em sua família – no convívio com seus filhos, com seus irmãos. Perdoe! 

A grande liberdade da vida do cristão é o perdão. Quando perdoamos, nos sentimos uma pessoa melhor, mais leve, suave e mansa. O mundo está amargo demais, porque as pessoas não sabem perdoar. Perdoe a quem lhe ofende com palavras, com atos, olhares. Às vezes o olhar de alguém lhe magoa muito. É nesse momento que você precisa perdoar e pedir a Deus que lhe dê olhos santos. O importante no mundo é amar e respeitar. A inveja, o ódio, a ira não levam a Deus; simplesmente nos tiram a graça de estar com Deus. Quando estamos com o coração cheio de ódio, de ira, de inveja, não conseguimos perceber as coisas boas da vida. No decorrer deste dia de hoje, quantas coisas boas acontecem em nossa vida, passam pela nossa vida, inclusive a presença de Jesus na brisa mansa, suave, leve, serena.  Ele quer habitar em seu coração.

Às vezes você não consegue se realizar completamente como servo do Senhor. Jesus ontem nos falou como é difícil ser um operário, porque a messe é grande, mas os operários são muito poucos. Há o momento das grandes multidões, mas há também o momento de refletirmos. Deus não se preocupa com multidões. Deus se preocupa com o nosso coração, com o nosso estado de graça. Temos que estar realmente, verdadeiramente, em estado de graça. Este mês é o mês da grande espera do Senhor. Então  não podemos esperar o Senhor com o coração cheio de ódio, de ira, de inveja – perseguindo os outros. Mas, a pessoa que tem a áurea de luz, essa é feliz. Quando você está diante do pecado não consegue olhar para aquela pessoa feliz e amá-la. A inveja é tão grande que você não consegue amar a felicidade do outro. E Jesus nasceu para que todos tivessem a vida plena. A vida plena significa felicidade completa!

A felicidade se realiza não pelo que eu tenho não pelo que eu possuo, não pelos bens da Terra, mas pelo grande bem do Céu: o Pai criador que me ama! Deus me ama e isso me basta!

A minha vocação, a minha missão, a minha entrega são tudo o que Deus me concedeu de melhor. São o maior tesouro que tenha na vida! Às vezes você tem um grande sonho, e neste grande sonho você quer fazer um grande bem. Então, isso é Deus lhe abençoando, porque todos precisam querer fazer o bem.  Queremos e precisamos ser a imagem e a semelhança de Deus.

Quando nos lembramos de Deus Menino, Deus Filho, que é o Cristo, nós sempre temos uma lembrança suave. Toda lembrança do Menino Jesus nos traz doçura.

O que o Menino Jesus traz para a nossa vida hoje?

Muita doçura! O menino Jesus é doce. O Menino Jesus é singelo. Tudo que é singelo é simples. O Menino Jesus nos transmite essa grande simplicidade. É doce e simples, terno. Ele é a ternura. O mundo hoje está sem ternura. As pessoas não estão brandas, mas cheias de ira, de ódio e de rancor. O ser humano está agressivo, explodindo de agressividade. Porém, o Menino Jesus nos transmite ternura. Precisamos ser ternos. Vocês, pais, precisam ser ternos. Vocês, mães, precisam ser ternas. A ternura é a doçura de Jesus. Nós estamos à espera do Menino Jesus. E Cristo também nos espera. Que coisa linda! Não somos só nós que estamos esperando Jesus. Jesus também nos espera. Quando falamos da grande espera, Jesus está sempre esperando por nós: esperando a nossa conversão.

Este é o mês de buscarmos o perdão, adquirirmos o perdão. É o tempo de termos um arrependimento sincero. O que lhe está magoando hoje? Não adianta apenas você chegar aqui aos pés de Jesus – por intermédio da Mãe de Jesus – é preciso trazer o perdão em você. Eu quero colocar o mundo aos pés de Jesus. Por isso, trago, simbolicamente, o mundo aos meus pés. Porque eu quero colocar o mundo aos pés de Jesus. E os seus pés nos mostram as pegadas que devem ser seguidas.  As pegadas de Jesus precisam ser o testemunho de nossa fé. Precisamos caminhar sobre as pegadas de Jesus e ser famílias como Jesus quer que as famílias sejam: a imagem e semelhança da Sagrada Família!

Este mês refletiremos sobre o nascimento do Menino Jesus, porque estamos à espera desse acontecimento. Então é o momento de refletirmos sobre a Sagrada Família. Cada um deve parar e pensar: Será que a minha família está sendo exemplo da Sagrada Família? A ternura, a doçura e o afeto aliados à responsabilidade dos pais e das mães, de amar, de educar e de catequizar seus filhos. Como vocês estão conduzindo seus filhos? Vocês mães, vocês pais!

Vamos nos alertar porque o mundo está mal. Se o mundo está mal é porque as famílias estão diante daquilo que não é bom. Há tanto mau exemplo que o respeito já não existe mais. A catequese dos filhos não existe mais.  Este é o mês da grande espera. Jesus também espera por nós, ele espera a nossa mudança de vida, espera pela nossa conversão. Jesus é Misericórdia, mas não teremos muito tempo mais. Nosso tempo esta chegando ao fim.  Não podemos demorar mais, o tempo passa muito rápido.

O exemplo que lhes dou é o seguinte: quando crianças ou quando adolescentes, vocês diziam: “Eu quero ser maior de idade, quero ser um jovem!”. Mas quando chegam à fase de jovem, logo vem a fase de adulto, ai então, vocês dizem: “Que saudade da minha infância!”. O tempo passa ligeiro e assim também acontece com os desígnios de Deus em nossas vidas. Vocês pensam que as coisas demoram a acontecer, mas não, o tempo está passando muito rápido. Logo, logo estaremos diante de lindos acontecimentos sobre a face da Terra. Serão também acontecimentos muito sérios e tristes. Veremos a grande graça de Deus. Mas essa graça de Deus estará presente no coração daquele que for agraciado. Muitos estão tendo todo tempo para plantar, todo tempo para cultivar, mas não estão tendo o carinho de plantar, o carinho de cultivar.

Quando chegar a hora da colheita, quem plantou vai ter o que colher, vai encher sua vida de colheitas boas. Por exemplo, quem plantou na oração do Santo Rosário. Na vivência da Eucaristia. Na luta pelo triunfo do meu Imaculado Coração. Então, essa pessoa foi plantando coisas lindas, coisas boas. E quem não plantou? Pense como vai ser triste para essa pessoa, quando chegar o tempo da colheita não terá nada para colher. Não terá graça para colher. Não terá perdão. Perdão é uma grande colheita. Quando perdoamos, colhemos tantas coisas boas em nossa vida: a paz reina em nossa casa. O amor flui em nossa alma, em nosso coração. Estamos tendo um tempo, que é o tempo da graça, o tempo da Misericórdia. Esse tempo da Misericórdia – que achamos demorar tanto – passará rápido. Esse tempo da Misericórdia nos dará algo muito sério. Quem não plantou, não colherá: não vai ter o que colher!  Colhemos o que plantamos!

Durante a sua vida inteira você pode plantar uma missão aqui na Terra.  Quantas pessoas estão agradecidas a Deus. Há tantos jovens que se decidem por uma vocação, por uma missão e estão profissionalmente super realizados. Mas para isso ele enfrentou grandes batalhas para chegar até onde está: o esforço, o trabalho, a luta e a valorização da sabedoria que Deus lhe deu. Pense sobre o cientista que tem Deus no coração, o tanto que ele é feliz. Sente-se uma verdadeira obra viva do criador. Ele sabe que aquela ciência que se desenvolveu nele, para ele ter o dom de aperfeiçoar mais, de construir mais é obra divina. Às vezes achamos que as pessoas sábias não têm Deus. Pelo contrário, elas têm muito Deus. Existem sábios que são mais sábios do que aqueles que se acham sábios. São os que atingem a sabedoria por meio da humildade e até mesmo pela falta de conhecimento humano.

Existem muitos sábios que sabem cultivar a sabedoria. Inclusive na Igreja celebramos a sabedoria de doutores da lei. Eram aqueles que tinham o conhecimento, e nos quais a unção era completa. Tinham a capacidade do raciocínio da criação. Tiveram a unção de ver tantas coisas lindas. Foram tão ungidos! E a unção maior era a de poderem agradecer a Deus, pois a ciência que elaboravam e cultivavam era inexplicável aos olhos humanos.  De tal forma que estavam cada vez mais cercados de conhecimento, pois sabiam que por mais que soubessem, Deus era ainda maior. E a cada dia se surpreendiam mais e mais com a grandeza de Deus. Então os doutores da lei eram homens e mulheres sábios, que buscavam a sabedoria, cresciam na sabedoria e chegavam ao grande conhecimento, de que não sabiam nada. Deus sempre tinha algo de maior para lhes dar.

É o que acontece hoje quando ouvimos uma mensagem bonita vinda do Céu. Nós nos surpreendemos, mas logo depois, Deus manda mais, mais e mais. A ciência de Deus é linda! Temos muitos dons. Temos criaturas muito sábias.

Quando olho para as crianças, vejo que neste ano as crianças tiveram uma superação de sabedoria, porque elas foram iluminadas pelo Espírito Santo. Este foi o ano em que as crianças brilharam, e em que ainda estão brilhando. As crianças estão evangelizando, estão falando da fé que seus pais tinham medo de profetizar. Estão fazendo seus pais voltarem à Casa de Deus. Vejam que coisa linda, as crianças colocando os pais no caminho da oração, da Eucaristia, da comunhão. Estão no caminho da comunhão da família. Jesus é a grande comunhão fraterna da família que precisa santa.

Falamos hoje do perdão. Precisamos cultivar esse perdão, porque a sabedoria de Deus se realiza em nós pela entrega da nossa vida a ele. Quanto mais perdoamos e procuramos o perdão, mais nos entregamos à realização do plano de Deus.

Por que é tão difícil você aceitar alguém?

Muitas vezes você não tem coragem nem de olhar para alguém. Mas é o perdão que nos suaviza. O perdão não nos deixa ter rancor das pessoas, não nos permite odiar as pessoas.

O ódio é uma coisa do mal. Não é coisa de Deus. Nós somos as criaturas feitas à imagem e semelhança de Deus, por isso, temos que produzir o que é bom, temos que produzir o bem. Temos que plantar tudo o que é bom.

Este é o ano da paz. Como precisamos de paz, como o Brasil necessita de paz. Como o ser humano está carente de paz. Como as pessoas estão doentes. Têm uma doença que se chama pecado, que é a que mais fere, porque fere a alma de vocês. Jesus disse: “Mil vezes uma chaga na carne do que só uma vez a chaga na alma”. Vamos orar e pedir a Deus o perdão.

Nesta bênção de hoje, estarei intercedendo junto a Jesus pela graça de vocês procurarem o perdão. Se amarem, se respeitarem e olharem uns para os outros com os olhos de amor, não com os olhos da ira, não com os olhos do ódio. Deus é a paz, e nós precisamos de paz.

Com grande alegria eu vou lhes dar a minha bênção.

Neste momento, Nossa Senhora abençoa a todos, enquanto cantam: “Dai-nos a bênção...”

Queridos filhos!

Eu abençoei carinhosamente a todos os filhos, a cada um de vocês que hoje estão aqui presentes. Essa mensagem nos pede conversão. Fala do tempo da espera. Não podemos esperar Jesus da forma que as pessoas o esperam hoje: com o coração cheio de ódio e de rancor, odiando umas às outras, perseguindo umas às outras.  Temos que esperar Jesus com amor.

Quem é Jesus?

Ele é a brisa leve, suave e mansa que nesta hora está se manifestando no meio de nós. Ele é o poder da natureza, porque a natureza nos mostra que Jesus é a suavidade e a paz. Então, vamos esperar Jesus, porque Jesus espera por nós. Ele espera por uma pessoa boa, cheia de Deus, cheia de graça: feliz, alegre e sorridente! Aproxime-se dele e o abrace com aquele abraço amoroso, o qual Jesus tanto espera de nós. Ele espera pelo nosso amor, pelo nosso sim, pela nossa boa vontadef .

Que todos nós preparemos o caminho do Senhor. O caminho é o Senhor. Felizes são os pés que trilham esse caminho de luz que é o Senhor. Que Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, abençoem todos os corações aqui presentes; as famílias de vocês, os romeiros que aqui hoje vieram. Os operários de Jesus que estão aqui e que trabalham com seu Santo Terço, com o seu Santo Rosário, por um mundo melhor, pela paz na Terra.

Parabenizo aos aniversariantes. Você que está completando seus anos de vida, agradeça a Deus pelo dia do seu aniversário. Ofereça a Deus o seu coração e lhe peça a paz. Peça a Deus o triunfo do Coração desta Mãe que está aqui hoje olhando por todos vocês.  Agradeço aos que me ofertaram estas flores belíssimas. A eles eu quero ofertar o meu Imaculado Coração de Mãe.

O Senhor me chama. Eis aqui a Serva do Senhor!

 

Última modificação em Segunda, 28 Dezembro 2015 09:30

radio

Canal de Comunicação Oficial das Aparições de Nossa Senhora de Piedade, no Santuário da Mãe de Piedade ( Vale da Imaculada Conceição) em Piedade dos Gerais - MG .  ©  2012 - 2017 Todos os direitos reservados.

Contato:
Romarias Equipe do Site Perguntas Frequentes Endereço do Vale Pedidos de Oração

Informações: (31) 3721-3966 (Fixo) / 9 8431-0338 (Claro) / 9 9908-3966 (Vivo) 
Mensagens de Nossa Senhora via WhatsApp :
31 9 9695-4716