Quinta, 08 Outubro 2020 19:47

Mensagem de 20 de Setembro 2020

Avalie este item
(1 Votar)

Queridos filhos!

Quero desejar, neste lindo dia do Senhor, momentos de festividades para toda a Família Fraterna, para o Brasil, para o mundo e para as famílias. 

Quantas bênçãos! Mesmo diante do peso das batalhas, devemos respirar essa linda graça de Deus. Como nos ensinou Jesus na belíssima catequese de ensinamento dos 33 anos de bênçãos: devemos estar nas Entranhas do Coração Misericordioso, nos colocar diante desse Sangue Misericordioso, dessa água viva que sai direto do Coração de Deus para nós – que é o próprio Cristo, Deus vivo no meio de nós.

É o momento de termos força e fé. Os momentos em que temos mais força na vida são os momentos difíceis. É nos momentos difíceis que refletimos o quanto é grande a força divina. O quanto é grande!

Hoje, neste domingo, eu gostaria que vocês fizessem essa meditação: “O quanto é grande a força de Deus para o mundo, neste ano de batalhas”. Principalmente você que está aqui e pode agradecer. E mesmo você que não está aqui, pode fazer seu agradecimento – onde estiver, você está unido ao Coração da Mãe de Piedade, que leva todos os corações à Santíssima Trindade.

Por que eu lhes convido a fazer este agradecimento? Porque o demônio quer barulho, questionamento, desânimo, guerra e mentira. E Deus quer a vitória. Quando você estiver diante de uma cruz, pense na vitória. Quando eu peguei meu Filho nos braços, eu vi a vitória! Eu não refletia sobre um filho morto nos meus braços, mas sobre a vitória de Deus no mundo. E assim, também vocês devem fazer.

Neste momento não questione! Este ano tem passado ligeiramente, mas tem levado o homem a viver um momento diferente. Um momento, eu diria, até especial. Para que o homem reflita um pouquinho mais sobre o temor e o respeito a Deus. Nesta catequese belíssima, nesses anos e anos evangelizando o Brasil e o mundo neste santuário, Deus nos coloca essa reflexão: “Para onde vai o mundo se o homem não se converter? O que o homem vai receber? O que o homem vai colher se não se converter?”. 

É preciso orar, agir e fazer o bem. Muitas vezes, aquele que faz o bem nem sempre tem o reconhecimento dos homens. Mas não precisamos ter o reconhecimento aparente do mundo, precisamos ter a bênção de Deus.

Faça sempre o bem. É um tempo de fazer o bem. Há muitas pessoas sofrendo neste ano e se sentindo abandonadas. A melhor forma de ajudar alguém é orando. Muitas vezes, você não está presente como gostaria na vida de alguém, mas se você orar, a oração vai até aquela pessoa tão amada – seja pai, mãe, filho, jovem. 

Seja sempre um homem de fé, que suplica a Deus pelas necessidades espirituais, materiais e temporais da humanidade. Não perca a sua fé! Não se deixe perder! Daqui para frente vocês têm que ter essa consciência. É o tempo da justiça Divina. É o tempo da justiça de Deus. 

Então, não perca a sua fé! Trilhe o caminho certo e siga os passos de Jesus. Tenha uma vida de santidade. Busque a santidade! Respire esse Alimento Celestial, espiritual que vocês têm recebido. Muitos de vocês, hoje, estão tendo a graça de ver o quanto é grande o Espírito Santo de Deus. É Ele que nos une a Cristo e ao Pai. E você pode estar unido ao Pai e a Jesus pelo Espírito Santo, que é divinamente grandioso, tendo e partilhando seus Dons. 

É um tempo diferente. E é um alerta que o mundo precisa enxergar, e lutar para ser um homem novo. A humanidade ainda não acordou, porque o inimigo tem levado o homem a um comodismo tão grande. Eu digo para vocês, filhos, o homem não vai acordar facilmente. Ele está sempre teimando com a sua desobediência, incredulidade e falta de responsabilidade.

Vocês têm uma catequese do Céu e mesmo assim veem como é difícil a caminhada, percebem as suas limitações. Cada um tem as suas limitações. Não me refiro ao outro, a julgar o outro,  mas a cada um fazer a sua reflexão. Como você é cheio de limitações! Como você, muitas vezes, não tem aquela paciência, humildade e sabedoria para vencer os obstáculos presentes no seu caminho. Quantas vezes lhe faltam os dons do silêncio, da obediência e da oração. É preciso orar, meditar, vivenciar e ter essa plenitude. A alma feliz é uma alma em paz.

O mal só quer envenenar e o principal alvo é o homem – as famílias, as nossas crianças e os jovens. Por isso, temos que acender a chama do Espírito Santo. Assim como o sol, mesmo diante das pequenas gotas de chuva, ilumina; nos mostra que o Espírito Santo precisa nos iluminar, para que possamos receber Cristo, a Misericórdia. 

O que Jesus disse para vocês na linda mensagem de reflexão dos 33 anos? Misericórdia! Quando o inimigo lhe amedrontar, seja misericordioso!

A humanidade ainda não percebeu que a misericórdia é última tábua de salvação. Vocês precisam se apegar a essa misericórdia. O Vale, dedicado a Imaculada Conceição, é de Jesus Misericordioso! Nunca se esqueçam disso. Em tudo verão a misericórdia aqui; na providência nada vai faltar para vocês. 

Nada falta para o homem de fé! Porque o homem de fé, partilha! O homem de fé, não se baseia nas coisas materiais do mundo. Mesmo que ele lute e o trabalho lhe proporcione algo de bom, sempre está disposto a partilhar. O homem de fé tem entrega total! Ele não teme; ele confia, acredita e espera. 

São muitas bênçãos! Vocês não receberão; já receberam! E precisam fluir essas bênçãos. Como vou dizer para vocês que receberão bênçãos? Vocês já receberam.

Vocês têm aqui a presença de Jesus e a Misericórdia de Jesus. Vocês têm aqui o Coração de Jesus jorrando sobre cada um de vocês, tocando-lhes profundamente. Porém, é necessário que essas bênçãos produzam os frutos. 

O tempo da justiça é um tempo entre você, filho de Deus, com o Pai. Entre você, filho de Deus, com o Filho. Entre você, filho de Deus, com o Espírito Santo. Porque você colhe o que planta! 

Ninguém pode dizer: “Eu vou colher flores, porque a minha família inteira ora!”. Ora, mas, depende da sua oração também. Na sua casa podem existir membros que compõe a família e oram, mas se você não ora, não está unido às coisas de Deus. 

Deus não escraviza ninguém! Ele pede bem pouco do nosso tempo, do nosso dia. Ele nos deixa livres! E nos abençoa no trabalho, no dia a dia, na caminhada... No entanto, se você se desviar do caminho de Deus o demônio lhe derrubará muito facilmente. Se você estiver no caminho de Deus, terá força para vencer o demônio. 

Então, é necessário compreender que esse tempo da justiça é um tempo muito especial. E cada um precisa ter responsabilidade por seus atos.

É claro que todos os filhos de Deus têm seu lado pecador. Aquele lado que, muitas vezes, erra. Erra até por excesso de tantas lutas. Mas os santos alcançaram o mérito da santidade errando também, e corrigindo. 

Você deseja ser de Deus. Como disse Jesus, a terra passa, mas temos um encontro que nos leva dessa terra para o Pai, para o Céu.

Precisamos desta terra desde que nascemos. Você nasceu para cumprir a missão que Deus lhe confiou. Seja como pai, mãe, sacerdote, como jovem missionário, como filha religiosa... Deus lhe confiou uma missão. Uma missão linda!

Então, temos que buscar essa preparação, porque virá sofrimento. Como disse Jesus, ninguém está livre das doenças.

O homem adoece, mas tem que vencer as enfermidades. Até porque o próprio homem contribui para que a sua carne seja cada dia mais limitada, fraca e doente. Ele tem que ter força, fé e prudência. Ele tem que ser obediente e saber viver o momento presente. 

O que é o momento presente?

Este ano vocês estão vivenciando algo diferente. Não temos aqui uma multidão de pessoas. Mas, vocês podem ter certeza que, hoje, existe uma multidão muito maior devota deste santuário. Porque o sofrimento amadurece o crescimento espiritual.

E é isso que a humanidade precisa entender. Para chegarmos à ressurreição Jesus  teve que morrer por cada um de vocês. Então, para vocês chegarem a uma graça maior terão que passar pelas batalhas, sofrimentos, dificuldades, enfermidades e pestes. Mas Deus é maior do que tudo isto. Nunca se esqueçam disso!

Jesus nos faz enxergar que o amor, a misericórdia e a bondade de Deus são muito maiores do que todo sofrimento. Inclusive, maiores do que o sofrimento de perder alguém que você ama muito para as enfermidades ou para a peste. No presente momento muitos tiveram que devolver alguém que ama. Tudo é presente de Deus. Um dia precisaremos entregar tudo para Deus. Todos precisaremos nos entregar a Deus.

Quando o filho, o pai ou a mãe, entrega alguém para Deus vem aquela dor no momento. Mas depois vem o consolo por saber que existe o Céu, existe o Reino Celestial Divinamente Grandioso! É a esperança: a esperança da ressurreição. 

Filhos, somos chamados por Deus a uma vida plenamente abençoada e agraciada; mesmo diante das provações, porque elas virão. É tempo! É um tempo em que vocês estão lutando por algo. Não estão aqui por estar. Estão aqui porque estão lutando por algo. 

Vocês estão chorando por este mundo doente, pelo jovem que não tem alegria, porque não tem uma juventude saudável, cheia de saúde e fé. A saúde não é só física é da alma também. Uma alma debilitada, enfraquecida, faz o corpo se tornar muito mais sofredor do que se tivesse uma ferida física.

Vejam a quantidade de crianças abandonadas, outras assassinadas por falta de amor e de amadurecimento. Para onde o pecado tem levado as pessoas? Muitas vezes, vocês não sabem nem como proferir uma palavra, ou argumentar algo. É tanto pecado que você passa a preferir o silêncio e a misericórdia.

Como corrigir algo que depende de cada um se corrigir? Nem todas as pessoas estão de coração aberto, meus filhos, para ser aquilo que Deus quer.

Por isso, Jesus traz a suavidade, mas sem deixar de alertar sobre este tempo justo, que é o tempo que nós, que vocês filhos, estão vivendo agora – justamente neste tempo em que vocês estão sobre esta passagem. É importante entender que o tempo da justiça está na Terra. Vocês viverão esse tempo. E diante da vivência desse tempo vocês verão tudo o que produziram, tudo que plantaram. Se vier o sofrimento nunca pense “é Deus”. Não! São os seus atos, o seu pecado. 

Deus está sempre pedindo: “Convertam-se! Tenha uma vida de entrega e oração”.

Se olharem desde a primeira catequese neste santuário, até a catequese deste momento, Deus nos faz um pedido fortíssimo. Mas, por desobediência o homem não vive esse pedido. Não entrega, não confia, não ora, não faz a sua parte, não cumpre a sua missão. Por isso, o Céu, hoje, pede de uma forma belíssima, essa busca. Ter sede de Deus, sede de estar no Coração de Deus. 

O que vocês devem fazer diante desse ensinamento? 

Convertam-se! Não espere pelo outro, não! Porque, às vezes, você espera pelo outro e não faz o que Deus quer que você faça. E você já está pronto para fazer.

Não trilhe o caminho errado, mas o caminho da justiça Divina, que é Cristo. Deus é Justo! Bebam dessa fonte misericordiosa. Lutem, filhos! Os desafios de vocês serão agora. Ninguém estará livre das batalhas, que sejam das doenças, pestes, depressões, tristezas, ou que seja qualquer tipo de dor, tanto física e quanto espiritual.

Então, estejam prontos! Deus nos colocou aqui para estarmos prontos. Vocês não serão agraciados, já são agraciados há anos. Desde que nasceu você é uma bênção de Deus, uma graça de Deus.

A mãe quando pega um filho, pega uma graça, uma bênção de Deus. E, por que hoje as mães não fazem isso? Porque o homem perdeu a felicidade de reconhecer que a vida é uma graça, é uma bênção de Deus. Se o homem – refiro-me ao pai e à mãe – , soubesse que o filho é uma bênção e uma graça de Deus, não mataria o filho. Se o homem soubesse que a criança é uma bênção é uma graça de Deus, não praticaria a violência contra ela. 

Mas, hoje, as pessoas perderam a fé em Deus! Ninguém tem respeito a Deus! Mesmo diante de uma peste, o homem vive como se tudo estivesse tranquilo. Mas sabe que nem tudo está como ele quer. Por mais que ele esteja perdido, não é cego para ver que o mundo precisa de conversão, de santidade e de reflexão. Ele achava que poderia ir longe e, de repente, viu que não pode ir nem perto. O medo é consequência dos atos. 

Por isso, disse Jesus: “Não tenha medo, tenha fé! E seja obediente!”.

Ser obediente é ser diferente. É respeitar o próximo, o mais fraco – aquele que precisa de mais respeito.

Reflitam sobre o que Jesus lhes ensinou nesses 33 anos. Verão que, vocês, filhos, que estão nessa caminhada e que têm essa preparação, precisam suplicar muito a Deus por aqueles que não têm.

Neste momento, eu quero dar-lhes a minha bênção.

Neste momento, Nossa Senhora abençoa todos enquanto cantam: “Dai-nos a bênção...”

Queridos filhos!

Abençoei a todos vocês! Pedi a Jesus a bênção para as flores e para abençoar cada família, que neste momento está com o seu coração unido aos nossos corações, suplicando a graça da conversão e da santidade das famílias. 

Jesus pede a conversão e a santidade da família, porque dentro dela está o jovem, a criança, o pai e a mãe. Dentro da família estão a Igreja e os sacerdotes, porque eles têm uma família. Além de serem pais espirituais de uma grande família, eles têm uma família.

Se a família se converter – como nos ensinou Jesus nesta catequese – conseguiremos aliviar o sofrimento do mundo. Talvez vocês não tenham, ainda, a consciência do quanto vocês podem aliviar o sofrimento do mundo, através da conversão e santidade das famílias. É só suplicar a Deus essa graça.

O sinal de Deus – mesmo que venha a dor, a enfermidade, a doença – é a misericórdia. A misericórdia nos conduzirá à vitória. 

Então, peça muito a Jesus que cure a sua família. Porque se a família é um exemplo, a família transforma o mundo. 

É difícil, muitas vezes, acreditar no poder das contas do Santo Terço, do Santo Rosário. Talvez seja difícil, também, acreditar que uma família que se converte transforma o mundo, mas transforma, filhos!

Neste ano Deus tem dado um sinal forte do quanto as famílias precisam de oração e de conversão, e que Jesus Misericordioso é a nossa Fonte de Salvação.

Vamos juntos dizer: “Jesus, eu confio a Vós a minha família e as famílias do mundo inteiro”.

Entregue a sua família de todo coração, filhos! Entregue essa comunidade, o Brasil, o mundo e a Santa Igreja. Peça a Jesus por cada um daqueles que estão perdidos e que não têm a visão belíssima da fé. Mais vale ver com os olhos da fé, do que com os olhos do corpo. Os olhos da fé lhe fazem ver aquilo que parece invisível: o quanto Deus está presente na sua vida.

Vocês, aniversariantes de hoje, sentirão essa presença de Deus na vida de vocês. 

Vocês, famílias, que estão completando anos de união matrimonial, receberão a presença de Deus na vida de vocês. 

Vocês, jovens, que estão pedindo a Deus pela sua vocação, pelo seu matrimônio, ou que estão a caminho deste acontecimento tão lindo, peçam essa graça da presença de Deus na sua família.

Que todos permaneçam na paz! 

Eis aqui a Serva de Deus, Maria, a Mãe de Piedade, a Imaculada Conceição, e eis que o Senhor me chama.

Última modificação em Quinta, 08 Outubro 2020 20:09
Our website is protected by DMC Firewall!